Trabalhar com o que ama ou viver para trabalhar?
Diana Morgado | janeiro 13, 2017

Ninguém trabalha com algo que não gosta. Se trabalha, talvez seja por necessidade ou porque a área tem salários mais altos, ou por tradição familiar, ou porque escolheu a faculdade “errada”. Seja lá qual for o motivo, o certo é que encontrar um trabalho compatível com si próprio é a principal maneira de alcançar uma saúde emocional na vida profissional.

Trabalho como parte da vida

O trabalho consome grande parte de nossas vidas. Na verdade, passamos mais tempo com nossos colegas de trabalho do que com nossa família e amigos. E isso, não é nem pensando nos Workaholics. Mas, apenas fazendo a conta de horas de trabalho por semana versus a quantidade de tempo livro.

A área de trabalho é o reflexo do que somos capazes de fazer no mundo. Por isso, se estivermos emocionalmente, mentalmente e fisicamente envolvidos num trabalho compatível com nossas habilidades, ele pode se tornar uma maneira de nos sentirmos vivos, produtivos e úteis. O trabalho pode ser emocionante e desafiador. Mas precisamos fazer o trabalho “certo”, o que precisa ser consistente com o que gostamos de fazer. Se o nosso trabalho é “errado” para nós, pode ser uma fonte de interminável frustração e infelicidade.

Novos tempos

A natureza do trabalho está mudando. Antes um assalariado costumava prover uma família, comprar um carro, uma casa e acumular uma conta poupança. Agora, muitas vezes leva dois trabalhadores em uma casa para fornecer o mesmo conforto, e mesmo com dois é uma luta. Costumávamos acreditar que construir uma carreira numa grande empresa ou ser empregado pelo governo era o caminho para uma vida boa.

As estatísticas, porém, indicam que agora as pessoas mudam de emprego várias vezes ao longo de uma carreira. Mais pessoas estão trabalhando para empresas menores, muitas vezes com a expectativa de que o trabalho vai durar por um tempo limitado. Outras mergulham no empreendedorismo.

Expectativas da vida profissional

Muitos escolhem um tipo de profissão porque nossas famílias e amigos têm expectativas para nós e para o que devemos fazer com nossas vidas. Algumas vezes, escolhemos nossa linha de trabalho sem examinar as consequências para nossas vidas. Podemos acabar sentindo que passamos nossas vidas se apresentando para os outros e raramente para nós mesmos. Não demora muito para que nos sintamos completamente esgotados e frustrados por nunca fazer o que realmente queremos fazer.

Outra grande expectativa é o lado financeiro. Lutamos para um emprego que ofereça um bom salário, mas nem sempre damos a mesma importância na hora de analisar se de fato é um trabalho que seguiria na vida profissional. Se há a oportunidade, faça. Analise todos os prós e contras antes de escolher, trocar ou iniciar um trabalho.

Um trabalho compatível

Nosso trabalho deve ser compatível com nossos interesses e necessidades básicas. Os seres humanos são seres sociais: nos empenhamos no trabalho durante nossos anos produtivos para prover tanto para o bem maior quanto para nós mesmos. Nenhuma pessoa é uma ilha. A capacidade de trabalhar bem é um sinal de saúde emocional e de ser capaz de viver plenamente. Ele pode nos dar um caminho para expressar nosso intelecto, nossas habilidades físicas, nossa competência social e nossas necessidades emocionais. A quantidade de dinheiro ou status derivado do trabalho não é necessariamente um sinal de seu valor em termos de saúde emocional: um vendedor de frutas ou uma faxineira pode encontrar tanto significado através de seu trabalho como um presidente de banco ou um político poderoso. Tudo depende da pessoa.

Encontrando seu trabalho

O lugar para procurar essa resposta está dentro de si próprio. Se você quer ser um advogado ou dentista apenas porque essas ocupações soam interessante, talvez não seja a maneira certa para abordar a questão de encontrar o trabalho certo para você.

Pense profundamente o que você realmente gosta de fazer. Talvez seja ensinar matemática, pintar quadros ou criar um software. Por exemplo, se você gosta de cozinhar para os outros, em um nível abstrato você está realmente falando sobre ser criativo e alimentar outras pessoas. Pense sobre o trabalho que envolve a criatividade e a área alimentícia, como  iniciar um serviço de catering, trabalho social ou ensinar outros a cozinhar.

Naturalmente, seu trabalho atual pode realmente ser o certo para você. E se não for, dê espaço para considerar novas oportunidades.

Auto-descobrimento

Encontrar o trabalho certo envolve não apenas uma jornada pessoal de descoberta no que você gosta de fazer, mas também um reconhecimento das coisas que não são certas para você. Nós gostamos de ver a nós próprios como pessoas que são fortes e podem superar qualquer obstáculo, e em um grau esta é uma abordagem saudável de auto-afirmação. Mas há limites realistas que todos nós precisamos ter. Se reconhecidos e aceitos, podem nos levar a escolhas de vida mais suaves e adaptáveis. Não aceitar essas limitações é viver com uma série interminável de frustrações.

Conclusão

A busca para trabalhar com o que ama ao invés de viver para trabalhar está dentro de si próprio. Signica descobrir quem é você e o que você faz melhor. Significa também verificar e analisar todas as possibilidades de forma realista. O dinheiro, por exemplo, obviamente faz parte da nossa vida e tem importância. Não minimizamos o fato de que nem sempre é possível fazer o que ama devido as condições financeiras. Mas mesmo assim, é possível se conhecer melhor e o que pode ser feito para ter uma vida profissional mais saudável, completa e feliz.

Diana Morgado
Sobre o autor: Diana lidera o time de internacionalização do SmartBusinessPlan, a ferramenta que ajuda no sucesso de todos e em qualquer lugar do mundo. Dê uma olhada e teste agora seu plano de negócios.

Artigos relacionados

Que tal começar a escrever seu Plano de Negócios?
Teste SmartBusinessPlan hoje, grátis! Isso mesmo, sem custos.