Mulheres empreendedoras e em cargos de liderança – quanto mais, melhor!
Diana Morgado | março 6, 2018

Sabemos que a disparidade entre mulheres e homens em cargos de liderança no local de trabalho perpetua os estereótipos existentes sobre o papel das mulheres tanto no trabalho como na sociedade em geral, e exacerba a desigualdade salarial de gênero.

Se começarmos a ter mais mulheres em papéis de liderança, isso atuará como um encorajamento para outras mulheres no local de trabalho. A liderança das mulheres é importante para assegurar que mais mulheres ocupem posições onde tenham autoridade para decidir e negociar as questões que as afetam.

Fatos

De acordo com o levantamento mundial Global Entrepreneurship Monitor 2017, que no Brasil é realizado em parceria com o Sebrae, mais de metade dos novos negócios abertos em 2016 foi fundada por mulheres. As mulheres empreendedoras são mais escolarizadas do que os homens empreendedores e atuam, principalmente, no setor de serviços. “A taxa de empreendimentos iniciados no país, desde 2007, oscila entre 47% e 54% para homens e mulheres. Em 2016, a taxa foi de 48,5% para homens e 51,5 % para mulheres”, afirma a especialista em empreendedorismo Hilka Machado, professora da Universidade do Oeste de Santa Catarina. O empreendedorismo é sinal de que o número de homens e mulheres interessados em abrir uma empresa é proporcional há anos.

Ao contrário, quando falamos de mulheres em cargos de liderança, o Brasil ocupa uma posição bem baixa no ranking do último levantamento feito pela Deloitte na pesquisa “Women in the Boardroom” (Mulheres nas salas de reunião, em tradução livre). São apenas 15% das mulheres ocupando assentos nos conselhos de administração. E o indicador sobre o mercado de trabalho baixa para 7,7% quando se trata da participação feminina na liderança das organizações brasileiras.

Necessidades

O que é necessário para apoiar as mulheres empreendedoras em todo o país?

A questão é de que todos os empresários voltados para o futuro devem se perguntar a si mesmos, à medida que a economia global continua a se desenvolver e diversificar: o que pode ser feito para apoiar mulheres empreendedoras em todo o país? Sabemos que as mulheres enfrentam três obstáculos específicos: financiamento, orientação e experiência.

Ao apoiar programas que ajudam as mulheres a aprender sobre o mundo do empreendedorismo, conectá-las com empresárias bem-sucedidas e ajudá-las a encontrar acesso a fontes de crédito de alta qualidade, as mulheres poderão construir negócios fortes, solidificar sua posição na economia global e no mundo dos negócios locais, e gradualmente construir um mercado mais forte e melhor.

Algumas soluções

Como conseguimos mais mulheres em papéis de liderança?

Igualdade de gênero dentro da empresa para que mais mulheres tenham a chance de se tornarem líderes pode ser um longo caminho, mas não impossível. É necessária uma série de (simples) mudanças!

Podemos começar envolvendo os homens na igualdade de gênero, fazer disso uma luta conjunta.

Em 2017, um relatório feito para o Conselho da Diversidade Austrália, o Dr. Graeme Russell e o Dr. Michael Flood identificaram 10 princípios para envolver mais eficazmente os homens na igualdade de gênero no trabalho.

  1. Obtenha as bases certas – assegure iniciativas de igualdade de gênero envolvendo mulheres e homens como parceiros ativos e iguais.
  2. Obtenha o enquadramento certo – trate a igualdade de gênero como uma questão comercial, não como uma questão feminina.
  3. Envolver uma diversidade de homens – incluem homens em diferentes papéis organizacionais, em diferentes níveis e com uma variedade de origens demográficas (por exemplo, idade, origens culturais, sexualidade).
  4. Vá em grande escala – tornar visível e atingir todas as principais áreas de igualdade de gênero (trabalho remunerado, poder e tomada de decisões, segurança financeira, segurança pessoal, relações de trabalho interpessoais, cuidados e envolvimento da comunidade).
  5. Envie a mensagem correta – tanto a homens quanto a mulheres.
  6. Educar sobre como conduzir mudanças de forma eficaz – implementar adequadamente as iniciativas, ser visível e persistente, e seguir em frente.
  7. Faça a conexão entre o trabalho e o lar – traga iniciativas que incentivem a igualdade de gênero em cuidar de filhos e atividades de casa.
  8. Faça a conexão entre o trabalho e as comunidades – enquadra a desigualdade de gênero como um problema social / comunitário mais amplo.
  9. Desenvolver a confiança e capacidade de gênero dos indivíduos – oferecer oportunidades para homens e mulheres para mudar seus pressupostos, mentalidades e comportamentos.
  10. Esteja aberto a mudanças organizacionais – incentive homens e mulheres a desafiar e mudar as práticas organizacionais.

Infográfico

Clique na imagem abaixo para ver o Infográfico completo feito pelo Itaú Mulher Empreendedora

Diana Morgado
Sobre o autor: Diana lidera o time de internacionalização do SmartBusinessPlan, a ferramenta que ajuda no sucesso de todos e em qualquer lugar do mundo. Dê uma olhada e teste agora seu plano de negócios.

Artigos relacionados

Que tal começar a escrever seu Plano de Negócios?
Teste SmartBusinessPlan hoje, grátis! Isso mesmo, sem custos.