Entrando nos negócios de comidas saúdaveis – como garantir o sucesso?
Diana Morgado | maio 3, 2018

Do tomate sem pesticidas à cerveja orgânica. Da pizza sem glúten à comida RAW (crua). Dos super-alimentos aos sucos detox. Os negócios de comidas saudáveis e sem ser de fonte animal não param de crescer, cada vez mais. Seja por estética, dietas ou alguma alergia específica. As redes sociais e a Internet estão cheias de receitas e de imagens de pratos saudáveis, biológicos, orgânicos, livres de glúten ou sem lactose, baseados em super-alimentos ou sem produtos de origem animal. Antes, a distinção fazia-se entre os carnívoros e os vegetarianos. Hoje, o tema tornou-se mais complexo e nele reside uma infinidade de dietas alimentares que o mercado ainda expande para acolher a todos. Mas sempre existe um buraco aberto para cobrir quando falamos desse segmento.

1. Encontre o tal buraco no mercado

Tem sempre uma comida que precisa de uma “reforma saudável”. Pense em hambúrgueres. Hoje em dia conseguimos achar diversas formas e composições de hambúrgueres, seja de soja, grão de bico, legumes ou cogumelos. Mas e a salsicha? Ou o atum em lata? Sim! Tudo isso é possível transformar em produtos vegetarianos ou veganos.

Exemplo:

Jaap Korteweg é um agricultor da 9ª geração de sua família e fundador do The Vegetarian Butcher (O Açougue Vegetariano). Como alguém, tendo crescido em uma fazenda entre as vacas no campo holandês, decide se tornar um açougueiro vegetariano? Quando Jaap presenciou a febre suína e a doença da vaca louca na sua fazenda, considerou então investir na manutenção do gado, de maneira orgânica. Essa ideia foi ótima; até o dia em que o gado teria que ser levado para o matadouro. Daquele momento em diante ele decidiu se tornar vegetariano. Mas ele sentia muita falta do sabor da carne, ele disse que só comeria carne quando saísse para um restaurante.

Após uma busca de dez anos, Jaap desenvolveu e encontrou substitutos inovadores da carne com uma espetacular textura e sabor. Com a ajuda dos melhores chefs, ele acrescentou o sabor e a experiência da verdadeira carne aos produtos vegetarianos e veganos. Além disso, descobriu que há muito potencial no tremoço orgânico, que também é extremamente rico em proteínas. Juntamente com o designer de conceitos Niko Koffeman, chefe Paul Bom e uma equipe dedicada, ele trabalha em uma grande transição de carne animal para vegetal. A ideia também é ter carnívoros comendo seus produtos veganos e vegetarianos, para não somente provar que é possível apreciar mas como também aprovar os produtos. A ambição de Jaap e sua equipe é se tornar o maior açougue vegetariano do mundo. E não é impossível.

Experiência pessoal e dica:

Se você vier para a Europa, ou no meu caso, moro em Berlim – Alemanha. Aqui é possível encontrar o Açougue Vegetariano – não deixe de parar e experimentar. Seja você vegetariano ou não. A experiência é bastante interessante, pois você come algo que tem gosto de carne e peixe, mas é basicamente soja ou tremoço. Mexe um pouco com nossos sentidos ao ponto de nos questionar: Como é possível?! Enfim, algo válido para experimentar e quem sabe não levar também para o mercado brasileiro!

2. A agricultura orgânica

Mas afinal, o que caracteriza uma comida ser orgânica?  Comida orgânica vem de uma fazenda orgânica. Fazendas orgânicas não usam pesticidas artificiais, fertilizantes, aditivos para ração animal ou reguladores de crescimento. Não se utiliza também OGMs de modo a favorecer características desejadas, como a cor, tamanho etc. As letras “OGM” representavam Organismos Geneticamente Modificados.

A demanda por alimentos orgânicos tem tido grande demanda nestes últimos anos devido principalmente, aos inúmeros estudos científicos que comprovaram uma ligação muito íntima entre determinadas doenças humanas, com o consumo de alimentos processados, embutidos, com cores alteradas, aromatizados, emulsificados e etc. Ainda nesta linha, está também o medo da população com relação ao efeito residual de agrotóxicos nos alimentos, em especial frutas, verduras e legumes. Além disso, a ingestão de alimentos com alto nível de agrotóxico muitas vezes são centenas de vezes maiores que o permitido pela Organização Mundial de Saúde.

Mas não se engane, o mercado orgânico tem espaço em diversos seguimentos e não somente o frutas e legumes. Quase todos os produtos têm sua versão orgânica: vinho, algodão, café, açúcar, azeite, soja, ovo, leite, carne bovina e até pasta de dente.

Tem interesse? Saiba mais aqui: EMBRAPA

3. Plano de negócios

No SmartBusinessPlan é possível encontrar o exemplo de uma loja de produtos orgânicos. Aliás, quando você se registra no software e ganha os 7 dias de uso sem custos, esse exemplo está liberado antes mesmo de adquirir uma licença. É possível verifica-lo e se inspirar logo de início!

Diana Morgado
Sobre o autor: Diana lidera o time de internacionalização do SmartBusinessPlan, a ferramenta que ajuda no sucesso de todos e em qualquer lugar do mundo. Dê uma olhada e teste agora seu plano de negócios.

Artigos relacionados

Que tal começar a escrever seu Plano de Negócios?
Teste SmartBusinessPlan hoje, grátis! Isso mesmo, sem custos.